uma conversa. dois continentes. três amigas. dez anos de amizade.

A- o que voce faria se uma pessoa muito querida quisesse te visitar, mas você não pudesse mais ficar?

B- quem é a pessoa?

A- não posso falar.

B- ah, acho que tudo bem. a pessoa entenderia.

A- tem certeza?

B- claro. essas coisas acontecem, fazer o que?

A- é, também acho.

B- quem é a pessoa?

A- fulana.

B- MANO, ESQUECE TUDO O QUE EU FALEI. VOCÊ TÁ FODIDA. ELA VAI FICAR PUTA. VOU ASSISTIR DE CAMAROTE A SUA DESGRAÇA.

doçura

“Como é que se matam saudades não é coisa que se explique de um modo claro. Há quem creia que, ainda mortas, são doces, mais que doces.”

Machado de Assis, em “Esaú e Jacó”.

desencontro

paul auster tem a incrível capacidade de transformar a história mais sem graça numa coisa absolutamente maravilhosa a ponto de você ficar com raiva da realidade porque ela poderia ter produzido uma coisa melhorzinha só pra poder sem bem narrada por ele.