a conquista

a conquista, para determinados seres e para quase todos os colonizadores, é uma forma de domínio que objetifica para poder subjugar. colonização e machismo seriam duas faces da mesma moeda?

john donne parece ter percebido isso no século XVI. aí uns séculos depois o augusto de campos traduziu o poema do inglês, o péricles cavalcanti musicou, o caetano gravou um trecho naquele disco marromeno lindo que é cinema transcendental e eu, de semi-férias, brisei.

.

“deixa que minha mão errante adentre
atrás, na frente, em cima, em baixo, entre.

minha américa, minha terra à vista
reino de paz se um homem só a conquista

minha mina preciosa, meu império
feliz de quem penetre o teu mistério.

liberto-me ficando teu escravo
onde cai minha mão, meu selo gravo

nudez total: todo prazer provém do corpo
(como a alma sem corpo) sem vestes

como encadernação vistosa
feita para iletrados, a mulher se enfeita

mas ela é um livro místico e somente
a alguns a que tal graça se consente
é dado lê-la”

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s